Powered by Rock Convert

Tratar as questões relativas ao mercado imobiliário não costuma ser uma tarefa propriamente simples para quem não é um profissional do ramo, visto que são transações que envolvem valores bem elevados. Diante dessa realidade, saber como negociar o aumento do aluguel com inquilino é muito importante.

Esse é um momento muito delicado, no qual alguma fala ou exposição mal colocada pode minar o relacionamento, fazendo com que você perca um bom locatário ou até mesmo acabe em uma disputa judicial, causando uma bela dor de cabeça. Confira o conteúdo que preparamos a seguir e descubra como evitar isso!

Conheça os índices de reajuste

O primeiro passo para negociar o aumento do aluguel com inquilino é saber muito bem quais são os índices de reajuste praticados no mercado imobiliário, afinal, sem esse conhecimento, você terá problemas desde a elaboração do contrato. Caso você não domine o tema, o ideal é contar com ajuda profissional de um corretor ou um advogado.

No Brasil, em linhas gerais, os aluguéis são ajustados base no IGP-M (Índice Geral de Preços do Mercado). O mais curioso é que esse indexador não foi criado exclusivamente com essa intenção, mas acabou sendo a maior e mais completa referência do segmento para quem quer oferecer um aumento justo e sem abuso.

O seu cálculo leva em conta diversos fatores preponderantes para a nossa economia, como a inflação, o INCC (Índice de Custo da Construção) e o IPCA (Índice de Preços ao Consumidor). Para chegar ao resultado final, é feita uma média que considera os últimos doze meses, formulando uma fonte bastante confiável de análise.

Sendo assim, todos os contratos baseados no IGP-M são obrigados a reajustar anualmente, ou seja, de doze em doze meses. Alguns acordos, embora isso seja mais raro, utilizam somente o IPCA, que é obtido com base nas despesas de alimentação, transporte, saúde e assim por diante. O essencial é você saber bem qual é o seu caso.

Saiba a periodicidade correta

Como dissemos acima, os índices de reajuste apresentam periodicidades diferentes para inserir o aumento. Dessa forma, antes de negociar com o inquilino, você precisa saber qual é o período que está estipulado no seu contrato. Pela lei brasileira, os proprietários têm o direito assegurado de alterar o valor de locação até uma vez por ano.

Sabemos que é fundamental seguir o que está no papel. Entretanto, se você se deparar com uma diferença muito grande em relação aos preços praticados pelo mercado, nada impede de tentar uma conversa honesta para chegar a bons termos. Será preciso apresentar a justificativa e você só poderá aumentar se o locatário concordar.

Entenda o momento econômico

Outro dos cuidados que você precisa ter para negociar o aumento do aluguel com o seu inquilino é conhecer, com precisão, qual é o momento econômico no qual o país está inserido e de que maneira isso está afetando o mercado de imóveis. Afinal, uma mesma unidade pode ter preços completamente diferentes em dois períodos distintos.

Enquanto uma crise econômica tende a fazer os valores de aluguel caírem, uma vez que as pessoas perdem o seu poder de compra, fases de reaquecimento e crescimento fazem com que a balança penda a seu favor. E, nesse novo início de ciclo governamental, é isso que parece estar acontecendo com o Brasil.

Sendo assim, é imprescindível acompanhar os principais jornais e revistas. Você também pode usar a internet, blogs e sites especializados para ter uma visão mais clara sobre a realidade do ramo. Isso ajuda até mesmo a conseguir negociar da melhor maneira, inclusive para argumentar diante de eventuais pedidos e requerimentos indevidos do seu locatário.

Escute o inquilino e seja flexível

O fato de você aumentar os seus conhecimentos e elevar o seu poder de argumentação não quer dizer que você deva ser inflexível com o inquilino. Durante a negociação, é fundamental escutar muito bem o que ele tem a dizer, uma vez que esse tipo de abertura reforça o relacionamento e tende a facilitar todo o processo.

Dessa maneira, você poderá analisar os argumentos e elaborar contrapropostas. Pode ser que o aumento venha em uma péssima hora para a pessoa, por conta de problemas pessoais ou financeiros. Por isso, vale lembrar que sempre é possível negociar algum tipo de compensação, como melhorias no imóvel ou o reembolso de benfeitorias.

Conheça os seus concorrentes

Por mais que você não seja uma pessoa competitiva, é essencial perceber que, ao locar uma propriedade, você estará disputando os locatários com os outros donos de unidades similares à sua. Diante dessa realidade, para fazer uma boa negociação, você precisa conhecer o segmento e ficar por dentro dos valores praticados na região.

Veja quanto estão pedindo por uma casa ou apartamento com a mesma metragem e acabamentos similares na mesma cidade, sobretudo nos bairros próximos e do mesmo padrão. Assim, você conseguirá propor valores de acordo com a realidade, ficando preparado para qualquer argumentação indevida do inquilino.

Valorize os bons locatários

Por fim, por mais que você esteja visualizando um potencial de aumentar a sua lucratividade por meio de um bom reajuste do aluguel da sua propriedade, você não deve deixar de valorizar se tiver um bom locatário. Ainda que haja a possibilidade de fechar negócio com outra pessoa por um valor mais alto, você deve pensar se ela vai cuidar bem do local, se tem um passado financeiro confiável e até mesmo se cumprirá com as suas obrigações em dia.

Esses são fatores essenciais, que merecem ser avaliados antes de encerrar o contrato. Seguindo essas dicas, negociar o aumento do aluguel com o inquilino será uma tarefa muito mais simples, uma vez que você poderá basear a sua argumentação e as suas decisões em conhecimentos sólidos.

Gostou de aprender como negociar o aumento do aluguel com o inquilino? Então não deixe de conferir também as vantagens de contratar uma imobiliária para alugar o seu imóvel!