Powered by Rock Convert

Infelizmente, o Brasil ainda é um país em que há pouca segurança jurídica para quem deseja empreender — e muitas pessoas desonestas ainda conseguem aplicar golpes em cidadãos de bem. Diante dessa realidade, saber como analisar o cadastro de inquilino com mais eficiência pode livrá-lo de uma tremenda dor de cabeça no futuro.

O mercado imobiliário é uma excelente oportunidade de ganhar uma boa renda passiva no final do mês, mas isso também passa por saber identificar se a outra parte da transação está ou não agindo com idoneidade. Confira o conteúdo a seguir e descubra como fazer isso!

Como o cadastro de inquilino previne prejuízos?

Com dissemos, o Brasil é um país que ainda vem se desenvolvendo no ponto de vista da segurança jurídica. Apesar de alguns avanços consideráveis nos últimos anos em termos de legislação — e até mesmo do comportamento da sociedade —, ainda nos vemos às voltas de diversos golpes e ilicitudes praticadas em diversos segmentos.

Como o setor imobiliário é muito valorizado e movimenta muito dinheiro, existe uma grande necessidade de apostar em atitudes preventivas para minimizar as chances de levar um baque e acabar amargando um tremendo prejuízo. Por isso, muitos proprietários estão apostando na realização de um cadastro de inquilino.

Embora corretores, imobiliárias e advogados que atuam no setor estejam acostumados com esse tipo de estratégia, um locador eventual geralmente experimenta alguma dificuldade na hora de fazer a análise cadastral. Isso ocorre especialmente em função do elevado número de elementos que devem ser analisados e solicitados para o locatário.

Quais documentos devem ser exigidos para o cadastro?

Agora chegou a hora de observar quais são os documentos que você precisa solicitar para o candidato a inquilino, de forma que possa fazer a sua análise cadastral propriamente dita e, com isso, ganhar um pouco mais se segurança para locar a sua propriedade — sobretudo se você escolher fazer isso por conta própria.

Se o locatário for arrendar a sua unidade como pessoa física, você deve começar solicitando o que for de cunho pessoal, como o RG (Registro Geral), que ajuda a verificar se a foto e os dados correspondem com a identidade alegada pelo proponente. É interessante evitar quando houver rasgos ou manchas que dificultem a visualização.

Seguindo esse padrão, o próximo passo é pedir a Certidão de Nascimento ou de Casamento, que deve ser atual e não pode estar vencida. Isso é interessante para ver se o futuro morador é casado e qual é o seu regime de bens nessa união. Em caso de comunhão de bens, o cônjuge também precisa dar a sua assinatura como locador do imóvel.

O famoso Cadastro de Pessoa Física (CPF) serve para que você possa fazer uma consulta ao portal da Receita Federal, verificando se ele tem dívidas e pendências ou se o cadastro está regular. O comprovante de residência (contas de energia, telefone, gás ou água) serve para observar se os dados fornecidos batem com a moradia atual.

Por fim, solicite as informações bancárias: peça o cartão do banco e faça uma cópia para ter certeza que tudo está em dia. Caso não haja alguma discrepância ou problema depois de toda essa verificação, dê o retorno positivo ao locatário e comece a se preparar para a confecção do contrato de locação.

Vale lembrar que, no caso de pessoas jurídicas, deverão ser solicitados alguns documentos extras, como o CNPJ, que serve para checar a regularidade da inscrição junto à Receita Federal, o Contrato Social ou atos constitutivos, além de uma cópia da declaração de imposto de renda dos últimos três anos, para checar a saúde financeira do negócio.

Como deve ser realizada uma boa análise cadastral?

Agora que você já está com todos os documentos em mãos, chegou a hora de analisar, efetivamente, o histórico do seu candidato a futuro inquilino. Comece verificando junto aos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC e o SERASA, se o cidadão é um bom pagador ou se andou tendo problemas em quitar os seus débitos.

Lembre-se de que estar com o nome sujo não é necessariamente um impedimento absoluto, mas isso pode dar boas pistas a respeito do comportamento desse locatário com as suas dívidas. Caso a pessoa esteja negativada, as chances de ficar inadimplente, infelizmente, aumentam consideravelmente e você precisa ponderar se quer correr esse risco ou não.

Ao analisar o comprovante de renda, veja se a pessoa está apta a pagar o valor que você está cobrando pelo arrendamento do seu imóvel. Em geral, o ideal seria ganhar mensalmente, no mínimo, três vezes o valor de locação, incluindo as taxas de condomínio e IPTU. Mais uma vez, cabe a você julgar se os valores são compatíveis.

No caso dos casados, convém analisar também o cadastro do cônjuge. Lembre-se de que, em alguns casos, essas pessoas podem até ter uma remuneração elevada, mas os seus orçamentos podem estar comprometidos com dívidas ou empréstimos. Os contracheques, por exemplo, conseguem indicar as prestações de tais débitos.

De acordo com a Lei do Inquilinato, você tem o direito de solicitar uma garantia locatícia. É muito importante que você faça isso para evitar problemas. No entanto, se o futuro inquilino escolher um fiador, seria interessante que você também fizesse a análise cadastral dessa pessoa, visto que, em algumas situações, é ela quem vai lhe pagar.

Por que a ajuda profissional é imprescindível nesse caso?

Como você pode ver, fazer uma boa análise cadastral é muito importante para quem deseja locar a sua propriedade e minimizar os riscos de ter problemas como calotes ou dívidas que nunca são pagas. No entanto, você pôde observar também que essa é uma tarefa complexa, que envolve etapas pouco usuais para pessoas comuns.

Por essa razão, contar com ajuda profissional é imprescindível para ter mais segurança. Uma imobiliária está habituada com todos esses trâmites e pode fazer isso para você em menos tempo, mesmo oferecendo mais eficiência, até porque conta com corretores experientes e auxílio jurídico.

Gostou de aprender como analisar o cadastro de inquilino com mais eficiência? Quer contar com ajuda profissional nesse processo? Então não perca mais tempo e entre em contato conosco!